•  
  •  
  •  

Reserva Natural do Sapal de CMVRSA

Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António (RNSCMVRSA)

A RNSCMVRSA, zona húmida de importância internacional foi a primeira reserva natural a ser criada em Portugal em 1975, pelo Dec. Lei n.º 162/75 de 27 de Março, sendo uma das mais importantes zonas húmidas do país. O grande objetivo de criação desta reserva foi a conservação da Natureza, assegurando o equilíbrio dos ecossistemas, a melhoria das condições de vida das populações residentes e valorizando as atividades tradicionais e a proteção do património paisagístico.

Esta área protegida localiza-se no sudeste algarvio, junto à foz do Rio Guadiana e abrange uma área de 2300,0 hectares, constituídos por sapais salgados, corpos de água salobra, salinas e esteiros que se estendem pelos Concelhos de Castro Marim e de Vila Real de Stº António, abrigando um elevado número de espécies faunísticas e florísticas.

O sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, percorrido por inúmeras linhas de água e em contacto direto com o rio Guadiana, atendendo à qualidade das suas águas e do seu substrato alimentar, alberga uma fauna ictiológica variada, sendo que, os seus esteiros da Lezíria e da Carrasqueira são importantes locais de reprodução de várias espécies de peixes funcionando como um viveiro natural. Para além de inúmeros bivalves, espécies idênticas às existentes na ria Formosa, a área serve também de habitat a crustáceos, como a boca e o camarão-de-monte-gordo.

Esta Zona húmida é igualmente reconhecida como local de passagem, invernada e nidificação de numerosas espécies de aves aquáticas, sendo uma das áreas de maior interesse ornitológico do nosso país, justificando o seu estatuto de zona húmida de importância internacional que lhe é conferido pela Convenção de Ramsar.

Para além da zona húmida que abrange aproximadamente 70% da superfície da área protegida, esta integra ainda zonas secas de uso agrícola e zonas de cota mais elevada que correspondem já às encostas da serra algarvia, com espécies animais e vegetais próprias.

É pois nesta variedade de biótopos existentes que reside a riqueza desta área protegida, tão atraente quanto sensível a qualquer intervenção humana mal conduzida.

Na Reserva Natural também se desenvolvem diversas atividades humanas relacionadas com a presença da água, sendo que atualmente, a salinicultura é a principal atividade económica desta zona húmida e o seu salgado local reputado pela qualidade do seu produto. A par da salinicultura, a Reserva Natural também possui atividades relacionadas com a pesca, piscicultura e agricultura, às quais se veio juntar desde a década de 60 o turismo, sendo atualmente o mais destacado fator de desenvolvimento da região.

 

Natural.pt

A Natural.pt trata-se de uma “Marca” da propriedade do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) que faz parte de uma estratégia de promoção valorização das áreas protegidas, sendo esta uma iniciativa que visa a promoção integrada do território, dos produtos e serviços existentes nas áreas protegidas e na sua envolvente próxima, e que com elas partilhem valores e princípios de sustentabilidade e valorização da natureza e dos recursos endógenos.

O Município de Castro Marim aderiu à “MARCA” desde o seu nascimento tendo estabelecido em março de 2015 “Acordo de Colaboração para Plataforma Local de Operacionalização e Gestão da Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António”, acreditando que esta estratégia para além da divulgação do património natural do Município permitirá aos residentes e empreendedores locais obter vantagens por se encontrarem a operar numa área protegida inserindo-se numa rede de promoção e divulgação nacional e internacional, que lhes trará oportunidades de notoriedade e desenvolvimento.

No Concelho de Castro Marim encontram-se habilitadas a aderir à Marca todas as entidades públicas e privadas, que estejam devidamente licenciadas e que desenvolvam a sua atividade na área da Reserva Natural de Castro Marim e Vila Real de Santo António, de acordo com a tipologia de produtos e serviços identificados. O processo de formalização da adesão é efetuado através do sistema integrado de gestão da adesão disponível no portal Natural.P.T.

Mais imagens relacionadas: